/ Reflexões Bíblicas

Bons Frutos

Ou fazei a árvore boa, e o seu fruto bom, ou fazei a árvore má, e o seu fruto mau; porque pelo fruto se conhece a árvore.

Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.

O homem bom tira boas coisas do bom tesouro do seu coração, e o homem mau do mau tesouro tira coisas más.

Mas eu vos digo que de toda a palavra ociosa que os homens disserem hão de dar conta no dia do juízo.

Porque por tuas palavras serás justificado, e por tuas palavras serás condenado.
Mateus 12:33-37

Neste trecho que lemos, Jesus adverte acerca dos frutos daqueles que o serve ou daqueles que dizem que o serve.

Alguns versículos antes (Mt 12.22-32) após libertar um homem que era surdo, mudo e cego da opressão maligna, Jesus e o Espírito Santo que nEle operava são atacados pelos farizeus.

Eles atribuíram a Belzebu a operação dos milagres de Cristo, afirmando que Ele libertava os endemoniados pelo príncipe dos demônios.

Ao traçarmos um paralelo entre Mateus 12.22-31 e Mateus 12.33-37 somos capazes de compreender o profundo significado do ensinamento de Cristo acerca dos frutos.

Ou dizeis que a árvore é boa e o seu fruto, bom, ou dizeis que a árvore é má e o seu fruto, mau; porque pelo fruto se conhece a árvore. Raça de víboras, como podeis vós dizer boas coisas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.

Os religiosos que rodeavam a Cristo procuravam, a todo custo, manter sua aparência de santidade e castidade, no entanto, interiormente eles são como sepulcros.

Jesus os sensura severamente pela hipocrisia (Mt 23.1-39).

Mas, aplicando em nossos dias, qual o significado deste ensinamento de Cristo?

Nós como cristãos e servos de Deus devemos a todo momento resplandecer a Luz de Cristo, mas como?

Através da nossas obras, das nossas falas, “Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca” e através da nossa conduta.

Como servos de Cristo devemos carregar a nossa cruz (Mt 16.24-28), devemos aceitar a vontade de Deus sobre nós, negar a nossa carne e nos sujeitar às humilhações, pois se Cristo foi humilhado sendo Deus não seremos também?

“Pelo fruto se conhece a árvore.”

Através das nossas obras somos reconhecidos por aqueles que nos cercam. Qual é a nossa utilidade para o Reino se parecemos santos no domingo à noite, mas na manhã seguinte somos o pior dos pecadores?

Há algum tempo ouvi uma frase que expressa de maneira precisa

Nossos passos são observados (Hebreus 12.1), nossas ações são pesadas pelo mundo e por Deus, portanto, abandone toda prática que mancha o Nome de Cristo.

Porque por tuas palavras serás justificado e por tuas palavras serás condenado.

Permaneça firme na Santa Palavra de Deus e seja frutífero para o Reino.

Que Deus lhe abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais