/ Devocionais (Salmos)

Devocional - Salmo 3

Senhor, como se têm multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim.
Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus. (Selá)
Mas tu, Senhor, és um escudo para mim, a minha glória e o que exalta a minha cabeça.
Com a minha voz clamei ao Senhor; Ele ouviu-me desde o seu santo monte. (Selá)
Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou.
Não terei medo de dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor.
Levanta-te, Senhor; salva-me, Deus meu, pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios.
A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção. (Selá)

v.1: “Senhor, como se têm multiplicado os meus adversários! São muitos os que se levantam contra mim”. O salmista torna conhecido ao Senhor sua provação e suas dificuldades. Este salmo foi escrito enquanto Davi fugia de seu próprio filho, Absalão procurava matá-lo e usurpar seu trono. Davi não escondeu do Senhor seus medos, ansiedades e temores, pelo contrário, ele os apresenta Aquele que pode todas as coisas.

v.2: “Muitos dizem da minha alma: Não há salvação para ele em Deus”. O justo, quando sofre provações, enfrenta tanto dúvidas e temores internos quanto ataques e questionamentos externos. Somos tendenciados, nos momentos de dificuldades, a indagar a veracidade do cuidado e proteção de Deus, contudo, o sofrimento e a dor não aponta para a ausência de Deus, mas sim para a necessidade de buscá-lo.

v.3: “Mas tu, Senhor, és um escudo para mim, a minha glória e o que exalta a minha cabeça”. Dianta dos questionamentos e dúvidas o salmista ergue sua voz e declara que, em meio ao sofrimento, dor e angústia, Deus é seu escudo, proteção e Aquele que lhe concede o livramento. Ele é nossa força, nosso auxílio e nosso abrigo, a resposta correta ao sofrimento não é se afastar do Soberano, mas reconhecer Seu imutável e maravilhoso cuidado e proteção.

v.4: “Com a minha voz clamei ao Senhor”. Ao invés de murmurar o salmista clama ao Senhor em sua angústica, suplica pelo Seu auxílio e socorro. O crente deve confiar, assim como Davi, que Deus ouvirá seu clamor e súplica. “Ele ouviu-me desde o seu santo monte”. Deus não é inalcançável aos clamores de Seu povo.

v.5: “Eu me deitei e dormi; acordei, porque o Senhor me sustentou”. Quantas vezes você já não ouviu ou mesmo declarou este verso? Em circunstâncias normais não encontramos grande consolo neste versículo, contudo, se lembrarmos que o salmista, ao escrever este verso, vivia como um fugitivo jurado de morte, compreenderemos o quão gracioso e misericordioso é o Senhor.

Em meio à morte ainda podemos descanças, por é Deus que nos sustenta. Não temos o controle da nossa vida em mãos, tudo está nas mãos do Senhor, confie nEle, não sofra por um futuro que você não sabe se viverá.

v.6: “Não terei medo de dez milhares de pessoas que se puseram contra mim ao meu redor”. A confiança e fé em Deus nos faz crer que, mesmo em meio à adversidade, o controle de nossas vidas e a decisão final não partirá de nossos inimigos ou lutas, mas sim de Deus.

vv.7-8: “Levanta-te, Senhor; salva-me, Deus meu, pois feriste a todos os meus inimigos nos queixos; quebraste os dentes aos ímpios. A salvação vem do Senhor; sobre o teu povo seja a tua bênção”. O salmista encerra sua súplica entregando ao Senhor a sua luta, confiando que Deus lhe concederia a vitória e descansando naquilo que Ele faria.

Davi nos ensina que em todas as circunstâncias de nossa vida jamais devemos deixar de confiar no auxílio soberano do Senhor, somente Ele é capaz de nos conceder aquilo que é, eternamente, melhor para nossas almas, portanto, deixe que o Senhor batalhe suas lutas!

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Devocional - Salmo 3
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion