Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Devocionais (Salmos)

Devocional - Salmo 22 (Parte 1)

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

v.1: “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste? Por que te alongas das palavras do meu bramido e não me auxilias?”*.O Salmo 22, também conhecido como o Salmo da Cruz, retrata o Sacrifício de Jesus no Calvário para a redenção da humanidade.

Sob inspiração do Espírito Santo o salmista Davi escreve com exatidão o sofrimento do Messias em Seu Sacrifício vicário. “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”. Em seus últimos momentos no Calvário o Senhor Jesus recita o primeiro verso do Salmo 22 (Mateus 27.46, Marcos 15.34) e evidencia a trágica realidade do homem sem Deus experimentada por Cristo ao receber sobre si o pecado do mundo.

v.2: “Deus meu, eu clamo de dia, e tu não me ouves; de noite, e não tenho sossego”. O

este versículo podemos trazer para as nossas vidas, pois muitas vezes sentimos que Deus não nos ouve, porém Ele continua em seu Santo trono esperando o momento certo para conceder a vitória, afinal se fôssemos abençoados logo após os primeiros segundos de luta nunca alcançaríamos o crescimento espiritual.

v.3: “Porém tu és Santo, o que habitas entre os louvores de Israel.”

vv.4-5: “Em ti confiaram nossos pais; confiaram, e tu os livraste. A ti clamaram e escaparam; em ti confiaram e não foram confundidos”.

vv.6-8: “Mas eu sou verme, e não homem, opróbrio dos homens e desprezado do povo.Todos os que me vêem zombam de mim, estendem os lábios e meneiam a cabeça, dizendo: Confiou no Senhor, que o livre; livre-o, pois nele tem prazer”.

Em sua crucificação Cristo foi desprezado pelos homens, humilhado pelo seu próprio povo e desprezado pelos seus (Mateus 27.27-30; Marcos 15.16-20, 29-32; Lucas 22.63-65; 23.35-39; João 19.1-3), o Senhor Jesus se fez maldito por nós, padeceu afronta e escárnio por obediência à Vontade Soberana de Deus.

vv.9-10: “Mas tu és o que me tiraste do ventre; o que me preservaste estando ainda aos seios de minha mãe. Sobre ti fui lançado desde a madre; tu és o meu Deus desde o ventre de minha mãe”.

v.11: “Não te alongues de mim, pois a angústia está perto, e não há quem ajude”. Abandonado por seus próprios amigos (Mateus 26.36-46, 56, 69-75; Marcos 14.32-41, 50, 51, 52, 66-72; Lucas 22.39-46, 54-62; João 18.15-18, 25-27), o Senhor Jesus enfrentou sozinho a acusação, o sofrimento e a humilhação rumo ao Gólgota.

vv.12-13: “Muitos touros me cercaram; fortes touros de Basã me rodearam. Abriram contra mim suas bocas, como um leão que despedaça e que ruge”. Cristo morreu pelos pecados que não cometeu, enfrentou a morte que não merecia, se angustiou pela separação de Deus da qual não mereceu, contudo, permaneceu fiel até o fim ao propósito redentor de Seu Pai.

Em Cristo e em Seu sacrifício encontramos não apenas a redenção de nossos pecados, mas também a esperança e o conforto de termos, ao lado de Deus, um que padeceu por nós e saiu vitorioso.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Devocional - Salmo 22 (Parte 1)
Compartilhe