/ Reflexões Bíblicas

Quem você está seguindo?

“Então Jesus disse aos seus discípulos: Se alguém quiser acompanhar-me, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga-me” (Mateus 16:24)

Quem temos seguido? A quem temos dado maior atenção e dedicação? Será que estamos dedicando nossa vida e esforço majoritariamente para Deus ou para as demais coisas?

Devemos ter em mente que Deus não aceita dividir espaço com o pecado ou com qualquer outra coisa que se torne uma obsessão, consideremos a seguinte ilustração:

“Você acaba de se mudar para uma casa nova, antes de mudar seus pertences você a lava com todo cuidado e reforma alguns detalhes, se for necessário. Depois que você a organiza, de acordo com a sua vontade, ela está pronta para ser habitada. No dia seguinte ao voltar do trabalho a porta da frente está entreaberta, ao entrar pelo corredor você nota rastros de sujeira e lixo, ao chegar na sala você se depara com um mendigo dormindo com todas suas tralhas espalhadas pelos cômodos.”

Qual seria sua reação? Acredito que você imediatamente expulsaria o mendigo da sua casa, não estou correto?

Então porque insistimos em manter em nosso coração tudo aquilo que entra em contradição com a Palavra de Deus?

Mas qual é a relação disso com o fato de estarmos seguindo alguém? Simples!

Aquilo que colocamos em primeiro plano, aquilo que ocupa o maior e o melhor lugar na nossa sala, neste no nosso coração, será o que determinará e o que regerá a nossa vida, se tornará aquilo pelo qual vivemos.

Devemos tomar muito cuidado com aquilo que seguimos, pois pode se tornar um ídolo, algo do qual não conseguiremos nos desvencilhar futuramente.

Note que não me refiro apenas a pessoas ou artistas que, por admirarmos, colocamos no trono da nossa vida, podemos também correr o risco de idolatrar o pecado, em Romanos 1.32, podemos ver uma advertência a respeito deste risco:

“os quais, conhecendo a justiça de Deus (que são dignos de morte os que tais coisas praticam), não somente as fazem, mas também consentem aos que as fazem”

A palavra “consentir” proveniente da palavra grega suneudokeo pode ser traduzida como “consentir”, “concordar” ou “solidarizar-se”, neste caso, com o pecado que não necessita ser necessariamente nosso, podemos concordar com o erro do outro satisfazendo assim nossos desejos pecaminosos que imperam em nosso coração.

Se desejamos e optarmos por seguir Jesus devemos primeiramente derrubar os tronos do nosso coração: o trono do pecado, do orgulho, da autonomia, da adoração a si mesmo, dos ídolos famosos e de tudo aquilo que ocupa o lugar de Deus em nossas vidas. Repare que eu disse “derrubar o trono do pecado” e não, como muitos dizem, “tirar a máscara do pecado”.

O pecado não é uma máscara, se formos destrinchar o significado de máscara chegaremos na seguinte definição:

“Objeto que representa uma cara ou parte dela, e se usa no rosto como disfarce” (dicionário Aurélio)

O pecado não é um disfarce é um PADRÃO DE CONDUTA!!! Se o pecado fosse um disfarce não haveria necessidade de Adão e Eva serem expulsos do Jardim do Éden, afinal Deus teria desferido seu julgamento com base num disfarce, não estou certo?

Dizer que o pecado é uma máscara é amenizar a gravidade dele, pois se é uma máscara ele não representa aquilo que realmente somos e, portanto, não seremos condenados já que praticamos, vez ou outra, algumas obras de bondade que, por partir do coração, representa a totalidade do nosso ser.

Seguir a Cristo não é apenas vestir um estereótipo de crente, devemos viver como crente, ou seja, devemos viver de acordo com o padrão estabelecido por Deus, já que por crermos nEle (daí vem a designação crente) devemos andar da maneira que Ele determina como correta.

Minha oração é que você venha compreender que apenas ir à Igreja não garante nada, se fosse assim Judas o traidor seria salvo, pois fazia parte dos doze apóstolos que seguia a Jesus. Nem todos que dizem “Senhor, Senhor” entrarão no Reino de Deus! Mas apenas aqueles que viverem de acordo com a Santa Palavra do Senhor. Temos que ter em mente que podemos perder a Salvação caso nos deviemos do Caminho e, uma vez fora dele, se torna muito mais difícil segui-lo com integridade de novo.

Venhamos, pois entronizar Jesus Cristo em nosso coração para que somente Ele seja nosso modelo de conduta e vida. Sigamos todos a Jesus!

Jamil Filho

Jamil Filho

Servo de Cristo Jesus, proclamador das Boas Novas, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais