/ História da Igreja

Um pouco de História (John Wycliffe)

O século 14 pode ser considerado como o mais terrível para a humanidade. A população inglesa era majoritariamente composta por analfabetos, pois não sabiam ler em latim, a língua da classe intelectual e da igreja oficial. Mais de dois terços da população europeia sucumbia por causa da peste bubônica.

Sem o avanço tecnológico na área da imprensa a Bíblia era copiada manualmente o que a tornava muito cara, além disso ela estava escrita toda em latim o que impedia que a grande massa popular tivesse acesso ao seu conteúdo. Sem a luz das Escrituras as trevas espirituais cobriam a Terra, tornando esta era cruel e tenebrosa!

Nesse contexto nasce John Wycliffe, em 1330. Pouco se sabe acerca da sua infância, apenas que aos 16 anos começou seu estudo teológico e, em 1371, tornou-se o principal teólogo de Oxford.

Além de brilhante pensador, Wycliffe era visto e respeitado como um verdadeiro homem de Deus.

Com a ajuda de seus amigos de Oxford, Wycliffe traduziu todas as 750 mil palavra de Bíblia em latim para o inglês. Sua revolucionária convicção de que os ingleses comuns deveriam ler a Bíblia em sua língua foi a maior motivação para tal empreendimento.

Wycliffe foi um visionário também! Ele preparava e enviava pregadores, animando-os a pregar sermões expositivos a partir de fragmentos da Bíblia copiados a mão. O povo os chamava de “sacerdotes pobres”, mas alguns eram pessoas de refinada educação em Oxford. Outros, entretanto, eram homens analfabetos, porém sinceros de dedicados à disseminação do genuíno Evangelho.

Em seus ensinos, esse mestre se diferenciava de seus contemporâneos porque negava que os homens precisassem de um sacerdote humano para chegar a Deus. Ao contrário, 150 anos antes da Reforma, ele já proclamava o sacerdócio de todo o crente e ensinava todos os homens a irem, pela fé em Jesus, diretamente a Deus.

Wycliffe negava a transubstanciação, doutrina segundo a qual o pão e o vinho se transformava em corpo de Cristo durante a Ceia.

Dono de ideias radicais para seu tempo, ele afirmava ainda que o valor da participação na Ceia dependia exclusivamente da condição espiritual do crente. Ele foi o primeiro homem de seu século a reviver a doutrina da justificação pela fé.

Cada uma dessas doutrinas procedia de sua convicção de que a Bíblia era autoridade final para a qual a consciência dos homens deveria prestar contas.

Em uma época em que os hereges eram queimados na fogueira ou eram torturados lentamente até à morte, ele se opôs ao valente, e quase sozinho, contra uma monolítica e corrompida igreja medieval. Ele condenou os abusos, a corrupção e negou a essa instituição o direito de ser a única a falar em nome de Deus.

Wycliffe atacou ainda a venda de indulgências, as missas aos mortos, a oração aos santos, mas o que o notabilizou como exemplo de mestre foi o fato de ser o primeiro homem medieval a elevar a autoridade da Bíblia acima da igreja romana, o que lhe exigiu valentia e convicção.

Antes que a inquisição o alcançasse, Wycliffe teve um ataque cardíaco e morreu enquanto pregava um sermão, atividade que mais amava realizar.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Um pouco de História (John Wycliffe)
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion