Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Defesa da Fé

Solte Barrabás!!!

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

Ora, por ocasião da festa, costumava o presidente soltar um preso, escolhendo o povo aquele que quisesse.
E tinham então um preso bem conhecido, chamado Barrabás.
Portanto, estando eles reunidos, disse-lhes Pilatos: Qual quereis que vos solte? Barrabás, ou Jesus, chamado Cristo?
Mas os príncipes dos sacerdotes e os anciãos persuadiram à multidão que pedisse Barrabás e matasse Jesus.
E, respondendo o presidente, disse-lhes: Qual desses dois quereis vós que eu solte? E eles disseram: Barrabás. Mateus 27:15-17, 20-21

Jesus, antes de ser crucificado, foi levado à presença de Pilatos para que este o condenasse. Pilatos, contudo, compreendeu que em Jesus não havia nenhum crime ou motivo para que Ele fosse morto.

É interessante ressaltar que em outro trecho (João 18.36) Jesus deixa claro que seu objetivo não era depor Pilatos do poder ou lutar contra o governo de César.

Lembre-se que Roma oprimia e subjugava ferozmente o povo de Israel. A Bíblia não retrata com grande enfoque o cenário político e social, contudo, o ministério de Jesus estava inserido em um contexto de grande insatisfação do povo, rebeliões e revoltas contra Roma.

Contudo, ao contrário do que os judeus esperava, Jesus declara que Seu Reino não era terreno, mas sim Eterno.

Ao invés de reconhecerem Jesus como sendo o Cristo e Filho de Deus, os judeus optaram por apoiar e clamar pela libertação de Barrabás, um criminoso que havia se levantado contra a dominação romana.

Lembre-se que os judeus esperavam, e ainda esperam, um Salvador político, que represente uma grande força governamental.

Eles cruficaram a Cristo, pois não compreenderam o real propósito de Seu ministério terreno.

O mais lamentavel é que, hoje, os “cristãos” pensam que através de representações políticas poderão mudar o país e/ou o mundo.

Então porque muitos cristãos ainda insistem no fato de que devemos nos envolver com a política, de que devemos ser representados, de que devemos mudar o Governo?

Simples: o principal interesse deles é o bem estar terreno, a aceitação do mundo, enfim, uma vida aqui e agora. Se esqueceram que a batalha do cristão não está em atacar esta ou aquela liderança política, uma vez que todos os governantes são instituídos por Deus (Romanos 13:1-7).

Sinceramente fico inconformado com o movimento que estamos vendo nestes dias dentro da “ala evangélica”.

Estão repetindo o que Jesus sofreu há dois mil anos, estão clamando por Barrabás, por justiça terrena, por um país melhor que, num futuro próximo, será destruído para dar lugar ao Reino Eterno de Cristo.

Mas você pode estar pensando “Ah, deixe de ser quadrado, os tempos mudaram, como cristãos devemos lutar por nossos interesses!”

Realmente os tempos mudaram, mas Jesus diz: “O céu e a terra passarão, mas as minhas palavras não hão de passar.” (Mateus 24:35) e por isso o que a Bíblia diz acerca da nossa nacionalidade (João 17:14-16) ainda está valendo!!!

Me mostre pelo menos meio versículo, que não esteja fora de contexto, que diz ou que nos orienta a lutar por uma representatividade ou voz na política!

Ou será que o que a Bíblia diz em João 17:14 está errado? Será que Jesus se enganou ao dizer: “Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo” (João 17:14).

Como podemos estar em acordo com o mundo se ele nos odeia? Então há algo errado, pois se estou lutando, vivendo e pensando como o mundo é porque eu sou do mundo.

A Bíblia deixa claro que todo aquele que ama o mundo o amor do Pai não está nele! (1 João 2:15). Amar o mundo significa: viver conforme o mundo, pensar e agir conforme o mundo e desejar que, neste mundo, tenhamos e alcancemos descanso, paz e admiração!

Não preciso de ninguém me representado em comissão alguma!

Ou melhor dizendo, não preciso de nenhum falso mestre atrapalhando o bom desenvolvimento do Reino de Deus. Deus é o meu representante! Jesus é o meu Senhor e, este país não é a minha pátria!!!

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Solte Barrabás!!!
Compartilhe