Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Defesa da Fé

O inferno seria uma negação do amor de Deus?

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

Trata-se de uma frase muito utilizada por aqueles que procuram, de alguma maneira, contrariar fé e os preceitos bíblicos: “Se Deus é amor então porque Ele lança as pessoas no inferno?”

Primeiramente vamos deixar claro que, realmente, Deus é amor e que, por mais que muitos recusem, o inferno é real!

No entanto vamos deixar claro duas coisas: Deus não criou o inferno para os seres humanos e, além disso, é o homem que caminha para ele voluntariamente.

Em toda a Bíblia vemos, claramente, que Deus sempre disponibilizou uma maneira para que os seres humanos se aproximasse dEle, no entanto geração após geração a raça humana tem se desviado e seguido seu próprio caminho, apartando-se daquilo que o Criador tem determinado e de seus propósitos de Salvação Eterna.

Deus não joga ninguém no inferno! Pelo contrário Ele apresenta o Caminho:

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. João 14.6

Agora pense comigo: “Como um Deus que garante um caminho para a salvação lança um ser no inferno?” Seria ilógico não é mesmo? Deus estaria entrando em contradição consigo mesmo!

Mas por que o inferno existe e por que os seres humanos, infelizmente, vão para lá?

Primeiramente temos que entender que o inferno foi criado para Satanás e seus demônios, será um local onde o próprio diabo sofrerá eternamente. O julgamento eterno de Satanás foi profetizado em Isaías 14: 9-17:

O inferno, desde o profundo, se turbou por ti, para te sair ao encontro na tua vinda; despertou por ti os mortos e todos os príncipes da terra e fez levantar do seu trono a todos o reis das nações. Estes todos responderão e te dirão: Tu também adoeceste como nós e foste semelhante a nós. Já foi derribada no inferno a tua soberba, com o som dos teus alaúdes; os bichinhos, debaixo te ti, se estenderão, e os bichos te cobrirão. Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação, me assentarei, da banda dos lados do Norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo. E, contudo, levado serás ao inferno, ao mais profundo do abismo. Os que te virem te contemplarão, considerar-te-ão e dirão: É este o varão que fazia estremecer a terra e que fazia tremer os reinos? Que punha o mundo como um deserto e assolava as suas cidades? Que a seus cativos não deixava ir soltos para a casa deles?

Tendo em mente isso podemos dizer que, o inferno, não foi formado para a humanidade. No entanto quando a raça humana caiu no Éden os homens conheceram o caminho da perdição e da morte conforme vemos em Gênesis 2.16-17.

Embora Deus tenha criado Adão à sua imagem e semelhança, ou seja, com os mesmos atributos morais Ele não o “programou” para fazer Sua vontade. Adão desde o início tinha a total liberdade de escolher obedecer a Deus ou não, o Senhor lhe concedeu o livre-arbítrio assim como Ele o faz conosco.

No entanto Adão caiu e, com ele, toda a raça humana.

Mas veja, Cristo, como sujeito central do plano de salvação, morreu para que nEle encontrássemos o Caminho para Deus, no entanto, assim como Deus deu a Adão a liberdade de escolha, Ele o faz conosco também.

Ninguém é obrigado a aceitar a Cristo e a viver de acordo com as Sagradas Escrituras, no entanto:

Aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece. João 3.36

O Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário é uma demonstração do amor que Deus tem para com a sua criação, Ele nos apresentou o Caminho, a Porta e cabe apenas a nós decidir se vamos segui-lO ou não.

Tendo em mente que nós decidimos se queremos ou não andar nos Caminhos de Deus podemos dizer então que, sem sombra de dúvidas, o inferno é uma escolha!

Deus nunca lançou e nunca lançará por vontade própria um homem no abismo, é ele que, através de sua vida iníqua e pecaminosa, que caminha deliberadamente para a morte eterna.

O inferno, portanto, não é uma negação do amor de Deus, pois ele foi criado para punir eternamente Satanás e seus demônios e não para servir de lar eterno da humanidade iníqua. Deus é amor, no entanto, Ele também é Justo e Santo e todos aqueles que, através de sua vida, negar a viver uma vida santa e pura estará negando a Cristo Jesus e a seu Sacrifício na Cruz do Calvário:

Portanto, qualquer que me confessar diante dos homens, eu o confessarei diante de meu Pai, que está nos céus. Mas qualquer que me negar diante dos homens, eu o negarei também diante de meu Pai, que está nos céus. Mateus 10:32-33

Confessar a Cristo é reconhecê-lo como Senhor e Salvador e negá-lo é rejeitar o Único Caminho para Deus. Além disso seria ilógico pensar que alguém que o rejeitou toda a vida passe a eternidade ao seu lado, não é mesmo!?

Deus nos garantiu o escape, a saber Jesus Cristo Única Porta para a Salvação, cabe a nós decidir se vamos segui-lo ou não. Que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
O inferno seria uma negação do amor de Deus?
Compartilhe