Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Defesa da Fé

Em Defesa do Evangelho

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

Verdade é que também alguns pregam a Cristo por inveja e porfia, mas outros de boa vontade; Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões. Mas outros, por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho. Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda. Filipenses 1:15-18

Hoje estaremos, rapidamente, refletindo acerca da nossa posição mediante a Palavra de Deus, qual tem sido nossa postura e o que temos colocado em primeiro plano.

O apóstolo Paulo, ao escrever à igreja de Filipos, nos mostra neste primeiro capítulo que, embora ele estivesse preso por amor ao Senhor Deus, o evangelho de Cristo continuava a crescer e, agora com mais força e ousadia:

E quero, irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares; E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor. Filipenses 1:12-15

Note que, através do sofrimento e perseguição de Paulo, outros irmãos foram fortalecidos e incentivados à lutar, juntamente com ele, em favor do evangelho. Podemos aqui traçar um paralelo com Romanos 8:28.

No entanto, embora o evangelho estivesse crescendo a alcançando as almas, haviam aqueles que anunciavam as boas novas por contenda: “Uns, na verdade, anunciam a Cristo por contenção, não puramente, julgando acrescentar aflição às minhas prisões.”

Acreditavam que, ao proclamar a Palavra de Deus, estariam, de alguma maneira, aumentando o sofrimento do apóstolo Paulo. Na realidade, embora almas estivessem sendo salvas pela pregação destas pessoas, eles mesmos estavam caminhando para condenação.

Hoje não é raro encontrarmos pessoas que pregam a Palavra buscando seus próprios interesses e não os interesses e propósitos de Deus. Mas esta não é a questão que desejo abordar aqui. Gostaria de levá-lo(a) a refletir e meditar acerca do seguinte trecho:

…sabendo que fui posto para defesa do evangelho.

Paulo afirma que ele estava vivendo e viveria de tal maneira que o conteúdo das Escrituras fossem, por ele, defendido. E tal afirmação também valem para os cristãos de hoje.

Todos nós somos conclamados à defender o Evangelho do Senhor Jesus Cristo, para lutar contra os falsos ensinamentos e para resplandecer em meio às trevas.

Paulo reforça esta obrigação de todos os cristãos no versículo 27:

Somente deveis portar-vos dignamente conforme o evangelho de Cristo combatendo juntamente com o mesmo ânimo pela fé do evangelho.

Não devemos apenas portar dignamente, ou seja, agir em conformidade com o evangelho de Cristo, mas também lutar em prol dele. Defendê-lo dos hereges, dos falsos mestres, dos mercenários, dos legalistas e de todos aqueles que não pregam o evangelho pautado na Salvação em Cristo Jesus.

Quero que você reflita: “Estou verdadeiramente lutando em prol do Evangelho de Cristo ou sou apenas um simpatizante do cristianismo?”

Jesus nos alerta: “Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; E porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que a encontrem.” (Mateus 7:13-14).

Não existe meio termo, ou entramos pela porta estreita, colocamos a cruz de Cristo em nossas costas e lutamos pelo Evangelho ou entramos pela porta larga, cumprimos dogmas religiosos, aproveitamos o mundo e “conciliamos” (teoricamente) o Evangelho com os prazeres deste mundo.

Fomos chamados para fazer a diferença neste mundo e não para nos aliarmos a ele em suas diversões pecaminosas, em seus padrões errôneos e em suas concupiscências.

Devemos pregar o Evangelho não apenas com a nossa boca, mas também com a nossa vida, caso contrário estaremos salvando as almas enquanto caminhamos para o inferno.

Medite nesta breve reflexão e que o Senhor Deus lhes abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Em Defesa do Evangelho
Compartilhe