/ Vida Cristã

Cristianismo sem Cristo

E, chegando Jesus às partes de Cesaréia de Filipe, interrogou os seus discípulos, dizendo: Quem dizem os homens ser o Filho do Homem? E eles disseram: Uns, João Batista; outros, Elias, e outros, Jeremias ou um dos profetas. Disse-lhes ele: E vós, quem dizeis que eu sou? E Simão Pedro, respondendo, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. E Jesus, respondendo, disse-lhe: Bem-aventurado és tu, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem to revelou, mas meu Pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Mateus 16:18

A declaração de Cristo acerca do alicerce da Igreja e de seu poder sobre o inferno (Mt 16:18) é precedida pela afirmação de Pedro: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”.

O verdadeiro cristianismo se pauta na declaração de que Cristo é o Filho Unigênito de Deus e que, somente através dEle, encontra-se o livre acesso ao Reino Eterno de Deus,

“Sobre esta pedra edificarei a minha igreja” note que, não apenas Cristo, mas todos os apóstolos ressaltam quais são os alicerces únicos da Igreja de Cristo:

A pedra que os edificadores rejeitaram, essa foi posta por cabeça do ângulo; pelo Senhor foi feito isso e é maravilhoso aos nossos olhos? Mateus 21:42

Ele é a pedra que foi rejeitada por vós, os edificadores, a qual foi posta por cabeça de esquina. Atos 4:11

Segundo a graça de Deus que me foi dada, pus eu, como sábio arquiteto, o fundamento, e outro edifica sobre ele; mas veja cada um como edifica sobre ele. Porque ninguém pode pôr outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo. 1 Coríntios 3:10-11

Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; Efésios 2:20

Pelo que também na Escritura se contém: Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido. 1 Pedro 2:6

O fundamento único e imutável é Cristo, sua Palavra e sua obra redentora na Cruz do Calvário. Todo “evangelho” que passa ou que foge da centralidade de Cristo Jesus, foge do real propósito da Igreja: anunciar as Boas Novas da Salvação!

Será que somos ignorantes o suficiente a ponto de servir, crer e viver um “evangelho” que prega apenas e tão somente a vida terrena, que suprime a obra redentora de nosso Senhor Jesus Cristo, que anuncia um deus escravo de nossos desejos e ambições e que se firma em dogmas e preceitos meramente humanos?

O Evangelho de Jesus é um evangelho de libertação, vida, paz e alegria:

Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração, e encontrareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve. Mateus 11:28-30

“Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente, sereis livres.” (João 8:36)

Não temos o direito de deturpar a Palavra de Deus a nosso bel prazer, nossa obrigação única é anunciar a Salvação por intermédio de Jesus Cristo, defender o Evangelho e viver conforme as Sagradas Escrituras.

Todo evangelho, pregação ou mensagem que foge da obra redentora de Cristo, da cura divina, do poder do Espírito Santo derramado àqueles que o servem e do retorno Glorioso de Cristo Jesus nos Céus, mas se apoia em falácias e fábulas, em barulho meramente terreno que não altera em nem um palmo o modo pecaminoso de viver daqueles que o ouvem, em um deus que deve suprir os desejos de seus filhos mimados e ingratos é, na realidade, uma isca de Satanás.

Não existe Evangelho, vida cristã e salvação sem o Unigênito Filho de Deus, o primogênito da criação, o Senhor dos senhores, o Bom Pastor e o Único Caminho para os Céus.

Todo evangelho que suprime Cristo não é evangelho, mas sim uma isca envolvida por supostos padrões bíblicos, mas que, na realidade, conduz para a morte eterna e Satanás sabe disso, ele não é contra a boa moral, mas sim contra Cristo.

Prova disto é que um ser humano pode viver da maneira mais honesta possível, no entanto quando ele morrer não herdará a vida eterna, não porque não foi “bom”, mas sim porque não reconheceu a importância do Sacrifício de Cristo na Cruz do Calvário.

O Senhor Jesus nos alerta acerca desse tipo de “evangelho” e sobre os riscos envolvidos em se prender apenas em padrões humanos de salvação:

Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem sobre os ombros dos homens; eles, porém, nem com o dedo querem movê-los. E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens, pois trazem largos filactérios, e alargam as franjas das suas vestes, e amam os primeiros lugares nas ceias, e as primeiras cadeiras nas sinagogas, e as saudações nas praças, e o serem chamados pelos homens: – Rabi, Rabi. Vós, porém, não queirais ser chamados Rabi, porque um só é o vosso Mestre, a saber, o Cristo, e todos vós sois irmãos. Mateus 23:4-8

Mas ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que fechais aos homens o Reino dos céus; e nem vós entrais, nem deixais entrar aos que estão entrando. Mateus 23:13

Um dia todos nós daremos conta daquilo que fizemos, em vida, pela obra de Deus. Se a auxiliamos e trabalhamos em prol do resgate das almas, em apoio e auxílio, anunciado o verdadeiro ensinamento de Cristo receberemos de Deus o galardão de nosso empenho em favor da sua obra e Palavra, no entanto se deturparmos a mensagem da Salvação em Cristo a fim de garantir benefícios pessoais e terrenos iremos dar conta das almas que, pela nossa falta de compromisso com o Verdadeiro Evangelho, se perderam ou foram afligidos e maltratados.

Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; e, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte da árvore da vida e da Cidade Santa, que estão escritas neste livro. Apocalipse 22:18-19

Não fomos chamados para nos beneficiar materialmente do Reino de Deus, nossa missão não está em enriquecermos e em sermos servidos, mas em servir ao Evangelho. Aquilo que possuímos em mãos é muito preciso. Será que você consegue compreender o valor que o Sacrifício de Jesus Cristo tem?

O alto preço que foi pago no Calvário e o que isso significa para Deus e para os homens?

Nossa salvação não é totalmente gratuita, pelo contrário, ela custou o sangue de Cristo. O único ser humano que não tropeçou em nenhum mandamento, não defraudou a ninguém e em tudo se sujeitou, para que eu e você pudéssemos alcançar a reconciliação de Deus.

O Evangelho é muito precioso para perdermos tempo nos preocupando com o que Deus tem que me dar, em desperdiçar energias com coisas fúteis e que em nada acrescenta em nossas vidas espirituais.

A triste realidade é que a grande maioria dos supostos cristãos estão vivendo um cristianismo sem Cristo. As igrejas têm retirado a centralidade da Cruz e da necessidade do homem em conhecer ao Senhor Jesus substituindo pela futilidade dos dogmas humanos, da formalidade, da glória material, do orgulho.

Aos poucos os cristãos esqueceram que nossa vida não se resume apenas aos sessenta ou setenta anos, mas sim à uma eternidade. O nome de Cristo tem sido blasfemado entre os ímpios por causa da falta de compromisso dos “evangélicos” ditos seguidores de Jesus.

O mundo cristão se tornou um imponente e rentável centro comercial. Esqueceram-se de que Cristo nos ordenou

Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. Mateus 10:8

Fuja desse evangelho medíocre! Deste conceito de um deus fraco e escravo de minhas paixões, de um deus que necessita de homens para agir no mundo material, de um deus que desconsidera minha falta de compromisso com a Palavra, pois está interessado em meu dinheiro e naquilo que eu posso dar.

Fuja e não tenha prazer em nada que se opõe à Sã Doutrina, que submete Deus à palavras que Ele não disse, que atribui ao homem o título e a posição que somente o Criador, o Senhor Todo Poderoso e Rei Eterno pode assumir.

Temos em nossas mãos a oportunidade de trabalhar e dedicar a nossa vida em favor da verdadeira obra de Deus e, nossa posição eterna, dependerá do nosso compromisso e devoção para com a Palavra e Reino de Deus:

E veio o primeiro dizendo: Senhor, a tua mina rendeu dez minas. E ele lhe disse: Bem está, servo bom, porque no mínimo foste fiel, sobre dez cidades terás a autoridade. E veio o segundo, dizendo: Senhor, a tua mina rendeu cinco minas. E a este disse também: Sê tu também sobre cinco cidades. E veio outro, dizendo: Senhor, aqui está a tua mina, que guardei num lenço, porque tive medo de ti, que és homem rigoroso, que tomas o que não puseste e segas o que não semeaste. Porém ele lhe disse: Mau servo, pela tua boca te julgarei; sabias que eu sou homem rigoroso, que tomo o que não pus e sego o que não semeei. Por que não puseste, pois, o meu dinheiro no banco, para que eu, vindo, o exigisse com os juros? E disse aos que estavam com ele: Tirai-lhe a mina e dai-a ao que tem dez minas. E disseram-lhe eles: Senhor, ele tem dez minas. Pois eu vos digo que a qualquer que tiver ser-lhe-á dado, mas ao que não tiver até o que tem lhe será tirado. Lucas 19:16-25

Que Deus vos abençoe, oriente e guie no Verdadeiro Evangelho de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Cristianismo sem Cristo
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion