/ Deus

Sejam vossos costumes sem avareza...

“Sejam vossos costumes sem avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei.” (Hebreus 13.5)

Há alguns dias, enquanto meditava no capítulo 13 de Hebreus, me deparei com este verso e, naquele momento, ele prendeu minha atenção, pois em toda a Bíblia, principalmente no Novo Testamento, encontramos orientações acerca dos perigos da avareza e amor ao dinheiro, no entanto este verso nos revela uma bênção maravilhosa por parte do nosso Senhor.

Se olharmos para os versículos anteriores vemos o escritor aos hebreus orientando os cristãos a cultivarem o amor fraternal (v. 1), a hospitalidade (v.2), para não se esquecerem dos presos (v.3), a permanecerem puros (v.4) e, culminar no versículo cinco.

É interessante observar que ele não apenas nos orienta a repudiar a avareza como também nos declara o motivo para não nos apegarmos ao anseio descontrolado de conquistar mais e mais!

“Sejam vossos costumes sem avareza” nossa vida deve ser guiada de maneira a não enxergarmos no dinheiro um alvo de todas as nossas energias. Jesus nos alerta:

“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza, porque a vida de qualquer não consiste na abundância do que possui.”  (Lucas 12:15)

Cristo nos mostra que a vida do homem não consiste em apenas ajuntar tesouros terrenos, mas sim em nos prepararmos para viver eternamente com Deus. Em outra passagem Ele questiona:

“Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?” (Mateus 16:26)

O Apóstolo Paulo nos orienta:

“Mortificai, pois, os vossos membros que estão sobre a terra: a prostituição, a impureza, o apetite desordenado, a vil concupiscência e a avareza, que é idolatria;” (Colossenses 3:5)

Em 1 Timóteo 6:9-10 encontramos outra importante orientação do Apóstolo Paulo:

“Mas os que querem ser ricos caem em tentação, e em laço, e em muitas concupiscências loucas e nocivas, que submergem os homens na perdição e ruína. Porque o amor do dinheiro é a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé e se traspassaram a si mesmos com muitas dores.”

O versículo explica a si mesmo! Percebam que não há como conciliar a fé cristã com o amor ao dinheiro *“Porque o amor do dinheiro é **a raiz de toda espécie de males; e nessa cobiça alguns se desviaram da fé”. *Cristo nos deixa claro, ou servimos a Deus ou a Mamom (Mateus 6.24; Lucas 16.13). A vida cristã não consiste em apenas conquistas materiais, mas sim em proclamar o Evangelho de Cristo àqueles que necessitam, em auxiliar os
necessitados e andar conforme o determinado nas Sagradas Escrituras.

Cristãos que se aventuram neste terreno estão comprometendo seriamente, não apenas sua vida cristã, mas também sua eternidade e isso é o mais importante!

Note que, em paralelo, não defendo uma vida ociosa ou, como muitos dizem, “de pernas pro ar”. Pelo contrário a Bíblia nos ensina, e creio que já falei isso em outro post, que do nosso trabalho devemos tirar o nosso sustento:

“No suor do teu rosto, comerás o teu pão, até que te tornes à terra; porque dela foste tomado, porquanto és pó e em pó te tornarás.” (Gênesis 3:19)

“Porque, quando ainda estávamos convosco, vos mandamos isto: que, se alguém não quiser trabalhar, não coma também.” (2 Tessalonicenses 3:10)

Percebam que a Bíblia ao mesmo tempo em que combate o amor ao dinheiro e bens materiais prega a luta pelo sustento através do trabalho. Em momento algum vemos declarações de Cristo ou dos apóstolos afirmando o contrário e, cabe lembrar, que o próprio Apóstolo Paulo, para não ser pesado à igreja, viveu do sustento do trabalho de suas próprias mãos:

“Porque bem vos lembrais, irmãos, do nosso trabalho e fadiga; pois, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós, vos pregamos o evangelho de Deus.” (1 Tessalonicenses 2:9)

“Nem, de graça, comemos o pão de homem algum, mas com trabalho e fadiga, trabalhando noite e dia, para não sermos pesados a nenhum de vós;” (2 Tessalonicenses 3:8)

Em suma, ao declarar *“Sejam vossos costumes sem **avareza, contentando-vos com o que tendes; porque ele disse: Não te deixarei, *nem te desampararei” o escritor aos hebreus no revela que, em momento algum, devemos nos apegar à bens materiais ou ao amor desordenado ao dinheiro, pois o próprio Deus não nos desamparará.

Ele afirma, tal como o apóstolo Paulo em Romanos 12.16, que devemos nos contentar com aquilo que possuímos! Jesus é o nosso Bom Pastor e nEle podemos, com toda certeza, encontrar refúgio e sustento. Por que nos preocuparmos em dedicar nossa vida apenas em prol das riquezas se “Ele disse: Não te deixarei, nem te desampararei”?

Que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Servo de Cristo Jesus, proclamador das Boas Novas, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais