/ John Wesley

Um John Wesley em mim

Creio que, em algum momento de sua vida, você já tenha ouvido falar sobre a vida, obra e sobre o legado deixado por John Wesley. Mas qual a relação existente entre ele e nós?

Um pouco de história.

John Wesley nasceu no dia 17 de junho de 1703, em Epworth, Lincolnshire, Inglaterra. Era o décimo quinto filho de Samuel e Susana Wesley, durante a sua infância foi alfabetizado por sua mãe lendo o livro dos Salmos. Aos onze anos foi para uma escola pública e, seis anos depois, iniciou seus estudos em teologia na Universidade de Oxford.

Recebeu sua diploma de bacharel em 1724, neste mesmo ano foi consagrado ministro da igreja Anglicana, em 1727 recebeu o diploma de doutorado.

John Wesley continuou na faculdade de Oxford, onde ele era membro do Conselho da Faculdade Lincoln e professor de grego.

No ano de 1729 John e seu irmão Charles Wesley, juntamente com mais dois estudantes, fundaram um pequeno grupo de estudo bíblico, oração e encorajamento mútuo. Chamado de “Clube Santo”.

Em Outubro de 1735 John e Charles Wesley viajaram em missão para a América, no entanto, depois de dois anos, em Fevereiro de 1738, John Wesley retornou para a Inglaterra sem sucesso e sem ter pregado, como esperava, para os índios.

“Fui para a América converter os índios”, ele lamentou, “mas, oh, quem vai me converter?”

No dia 24 de Maio de 1738, em uma pequena reunião, John Wesley compreende, ao ouvir a leitura do comentário de Martinho Lutero sobre a carta de Paulo aos Romanos, que a salvação provém da fé e não das obras.

Em seu diário ele descreve:

“Cerca das oito e quinze, enquanto ouvia a preleção sobre a mudança que Deus opera no coração através da fé em Cristo, senti que meu coração ardia de maneira estranha. Senti que, em verdade, eu confiava somente em Cristo para a salvação e que uma certeza me foi dada de que Ele havia tirado meus pecados, em verdade meus, e que me havia salvo da lei do pecado e da morte. Comecei a orar com todo meu poder por aqueles que, de uma maneira especial, me haviam perseguido e insultado. Então testifiquei diante de todos os presentes o que, pela primeira vez, sentia em meu coração”

Fonte: “Avivamento Já” http://www.avivamentoja.com/pmwiki.php?n=Passado.Wesley

Mas o que isso significa para mim?

Ao lermos s história da vida de Wesley aprendemos primeiramente que, mesmo que nossas ações, objetivos ou intenções estejam pautadas em praticar o bem, jamais conseguiremos alcançar a salvação divina, pois:

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2:8)

Assim como John Wesley, todo cristão deve compreender que não é pelas suas boas obras que ele será aceito diante de Deus, mas sim pela fé em Cristo Jesus e, uma vez crendo nEle, as boas obras serão manifestas em nossas vidas como consequência do Espírito Santo em nós.

Outro ponto interessante que encontramos na história de Wesley é que, se analisarmos e estudarmos o contexto histórico da época, o cristianismo estava se esfriando, a Revolução Industrial havia impactado drasticamente a sociedade, milhares de pessoas estavam desempregadas, a violência crescia grandemente e as igrejas não eram capazes de impactar a sociedade.

Os ministros estavam mais interessados em agradar as pessoas “boas”, os burgueses e os cidadães da elite, do que pregar a Palavra de Redenção àqueles que estavam marginalizados. Infelizmente muitas igrejas de hoje estão seguindo o mesmo caminho, estão mais interessadas no lucro do que em resgatar as almas sedentas por Cristo. Estão subjugando a Palavra de Salvação por fábulas terrenas.

John Wesley compreendeu a urgência e a necessidade de pregar a Palavra de Deus fora das portas das igrejas, mesmo porque ele foi expulso dos púlpitos por simplesmente dizer: “Todos nós somos pecadores”.

Nas minas de carvão, nas ruas, nos campos, Wesley e Whitefield encontraram milhares e milhares de almas sedentas e famintas pelo evangelho. Pessoas desprezadas pela igreja, pela alta sociedade e pelo Governo.

A obrigação de anunciar a Palavra de Deus não repousa apenas nos ombros de alguns, mas sim de todos. Jesus conclama, claramente:

“E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demônios; falarão novas línguas; Pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e porão as mãos sobre os enfermos, e os curarão.” (Marcos 16.15-18)

“Mas eu não sei o que dizer”. Você pode estar afirmando. Jesus disse:

“E, quando vos conduzirem às sinagogas, aos magistrados e potestades, não estejais solícitos de como ou do que haveis de responder, nem do que haveis de dizer.” (Lucas 12:11)

Aprendemos, através da vida de Wesley, que todo cristão deve depositar totalmente sua fé no Senhor Jesus Cristo, deve romper com a frieza espiritual de seu tempo, deve ir contra o sistema e, acima de tudo, deve, urgentemente, compreender a necessidade de proclamar as Boas Novas de Salvação.

Que Deus vos abençoe, fique na Paz de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais