/ Deus

Todos os caminhos levam a Deus... Será mesmo?

É uma frase típica de religioso ou de alguém que não deseja sair da zona de conforto. “Todos os caminhos levam a Deus”. Mas será mesmo?

Ao lermos as Sagradas Escrituras observamos e compreendemos que não é bem assim.

“Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.” (João 14.6)

Somente por este versículo vemos que não há outra maneira de nos achegarmos a Deus se não for por Cristo Jesus.

O Apóstolo Paulo nos ensina, inspirado pelo Espírito Santo, que somos salvos pela graça de Deus:

“Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2.8)

Jamais alcançaremos a redenção por meio das nossas boas ações e atos de justiça, Paulo reforça que “pela graça sois salvos”, ou seja, por intermédio da fé em Jesus Cristo e “isto não vem de vós, é dom de Deus”. Jamais conseguiremos atender aos padrões de justiça e perfeição, exigidos por Deus, para que sejamos salvos por meio de nossas ações.

No entanto Jesus cumpriu toda a Lei e se ofereceu como sacrifício vivo perante Deus para que, todo aquele que nEle crer, tenha o poder de ser feito filho de Deus (João 1.12).

Percebam que religião, a meu ver, é o homem tentando se aproximar de Deus ou alcançar a salvação através de suas forças e ações.

E, no caminho oposto, está o cristianismo bíblico, onde Deus, com todo o seu poder e glória, dá forma ao Universo e tudo o que nele há, cria o ser humano a sua imagem e lhe concede todas as bênçãos espirituais e materiais.

No entanto, Ele é traído, desobedecido e abandonado pela raça humana, geração após geração. Sabemos que o pecado entrou no mundo por intermédio de Adão e que, todos nós, como seres humanos, nascemos debaixo da maldição do pecado.

E isso implica em uma separação eterna de nosso Criador, pois nEle não há mancha alguma. Por causa do pecado toda a humanidade estava fadada à condenação eterna.

No entanto, Deus, com sua infinita misericórdia, declarou, no início, que a salvação para a humanidade já estava preparada:

“E porei inimizade entre ti e a mulher, e entre a tua semente e a sua semente; esta te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (Gênesis 3.15)

E, aproximadamente, quatro mil anos depois de Adão e Eva serem lançados fora do Éden, Jesus Cristo morre na Cruz do Calvário para que, através de sua morte e ressurreição, sejamos capazes de ter comunhão com Deus novamente.

Porém isso não retira de nós a responsabilidades de sermos santos, puros, imaculados e justos perante Deus. Jesus morreu no Calvário para restabelecer a comunhão entre Deus e os homens e para que, por intermédio de sua graça, sejamos capazes de resistir ao mundo e suas concupiscências.

Não recebemos “superpoderes”, mas sim o Espírito Santo que age em nossas vidas com a nossa permissão. Deus não vai nos obrigar a resistir algo que nós não queremos resistir, mas nos dará o escape quando nos submetermos à sua Vontade.

Mas o que estou querendo dizer?

O que nos justifica perante Deus não são nossas ações, mas sim a nossa fé no Senhor Jesus, em sua morte no Calvário e na sua ressurreição e ascensão aos céus e a partir deste momento a santificação pessoal e a dedicação e comunhão com o Senhor Deus.

Jesus salva aquele que o aceita como Salvador e, não apenas isso, Ele também nos auxilia na caminhada rumo aos céus.

Não há verdade alguma ao dizer que “Todos os caminhos levam a Deus”. Na realidade, se assim pensamos, estamos contrariando e nos opondo à Palavra de Deus.

Essa frase me lembra uma canção, do Grupo Vida Abundante, antiga, mas muito antiga mesmo (da época do LP), que dizia:

“Se disser: sou fiel naquilo que eu creio, todo caminho leva a Deus, só basta ser sincero, mas se pegar a estrada do Rio pro Salvador, Porto Alegre não verá mesmo que sincero for.”

Embora possa parecer óbvio que não veremos Porto Alegre durante a viagem entre Rio e Salvador, muita gente está se enganando ao pensar que verá Deus viajando pelos caminhos do pecado. No mundo espiritual a lógica é a mesma, você verá aquilo que serviu e seguiu durante sua vida.

Um único caminho leva a Deus, e seu nome é Jesus Cristo. E se você não deseja se submeter à sua cruz, me desculpe, mas jamais verá um Deus a não ser o Juiz imparcial.

Que o Senhor lhe abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Todos os caminhos levam a Deus... Será mesmo?
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion