Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Arrebatamento

A Iminência da Promessa

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

“Não se turbe o vosso coração; credes em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai há muitas moradas; se não fosse assim, eu vo-lo teria dito. Vou preparar-vos lugar. E quando eu for, e vos preparar lugar, virei outra vez, e vos levarei para mim mesmo, para que onde eu estiver estejais vós também. Mesmo vós sabeis para onde vou, e conheceis o caminho.” (João 14.1-4)

Sabemos que a Igreja de Cristo vive os seus últimos momentos na face da Terra. Dia após dia o cumprimento das profecias se consolidam e nos apontam para o evento mais esperado pela Igreja de Cristo, o Arrebatamento.

No entanto, mesmo sabendo que a promessa de Jesus em retornar para nos buscar é verdadeira, devemos nos policiar para que, assim como o mundo, não venhamos deixar de lado o risco da iminência e corrermos o perigo de sermos deixados para trás.

Jesus nos alerta acerca disto em Mateus 17.37-39:

“E, como foi nos dias de Noé, assim será também a vinda do Filho do homem. Porquanto, assim como, nos dias anteriores ao dilúvio, comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento, até ao dia em que Noé entrou na arca, E não o perceberam, até que veio o dilúvio, e os levou a todos, assim será também a vinda do Filho do homem.”

Já falamos em um artigo mais antigo (Não vos inquieteis), no entanto, devemos lembrar que, embora o cenário ao nosso redor aponte para o fim dos tempos (terremotos, guerras, fome, pestes, falta de amor, pecado, afastamento de Deus, etc.) há uma perigosa armadilha na qual corremos o sério risco de cairmos: a vida cotidiana.

Percebam que quando Jesus vai alertar aos seus ouvintes acerca do seu retorno Ele não diz que haverá sinais mirabolantes nos céus que farão com que toda raça humana, viva naquele momento, se volte para Deus e se prepare para o encontro com o Senhor e Criador dos céus e da Terra.

Pelo contrário, Jesus enumera ações e eventos cotidianos “comiam, bebiam, casavam e davam-se em casamento”. Não há nada de errado em se alimentar, beber (não me refiro à bebidas alcoólicas) e em casar, porém o perigo reside no fato de nos acomodarmos, de tal modo, a esta vida terrena e às suas práticas cotidianas e esquecermos de que Cristo está prestes para cumprir sua promessa.

Infelizmente para muitos cristãos as palavras de Jesus, “…virei outra vez…”, estão mais no âmbito da probabilidade do que da iminência. Devemos, e aqui eu me incluo, tomar o devido cuidado para não acreditar e firmar nossas esperanças neste mundo, nem muito menos acharmos que seremos aqueles que estabelecerão, por meios humanos, o Reino de Deus na Terra.

Se nos iludirmos com as massas e com os eventos que nos rodeiam e, dia após dia, deixar de lado a iminente promessa de Jesus, infelizmente, correremos o sério risco de sermos achados como o servo mau.

“Vigiai, pois, porque não sabeis a que hora há de vir o vosso Senhor.” (Mateus 24.42)

Não sei quanto tempo ainda nos resta neste mundo, não sei se são séculos, anos, meses, ou até mesmo horas ou minutos. Sei, porém, que o mundo em que vivemos hoje possuí todos os requisitos e qualificações para cumprir o papel da geração que verá e viverá o maior e mais impactante evento da história da humanidade, depois da morte de Cristo na Cruz do Calvário.

Que neste dia as Palavras de Cristo ecoem em seu coração e mente levando-o a, não apenas crer, mas também discernir e compreender a iminência da Promessa do Arrebatamento.

Fique na Paz de Cristo Jesus, que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
A Iminência da Promessa
Compartilhe