/ Jesus

Revesti-vos do Senhor

“Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.” (Romanos 13:14)

Retornamos, depois de uma semana sem artigos. E hoje meditaremos um pouco nos escritos do Apóstolo Paulo, em especial no versículo que, considero, como a representação da essência da vida cristã.

No capítulo 13 de Romanos do versículo 8 em diante o Apóstolo Paulo nos exorta a caminharmos e vivermos em pureza e santidade:

“Com efeito: Não adulterarás, não matarás, não furtarás, não darás falso testemunho, não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.” (Romanos 13:9)

A cumprirmos a Lei:

“A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor com que vos ameis uns aos outros; porque quem ama aos outros cumpriu a lei.” (Romanos 13:8)

“O amor não faz mal ao próximo. De sorte que o cumprimento da lei é o amor.” (Romanos 13:10)

Logo em seguida o Apóstolo convoca os irmãos para o despertamento espiritual:

“E isto digo, conhecendo o tempo, que já é hora de despertarmos do sono; porque a nossa salvação está agora mais perto de nós do que quando aceitamos a fé.” (Romanos 13:11)

Paulo exorta que nos tomemos das armas da Luz, pois a noite já passou e o Dia, o Reino de Deus, já raiou:

“A noite é passada, e o dia é chegado. Rejeitemos, pois, as obras das trevas, e vistamo-nos das armas da luz.” (Romanos 13:12)

No versículo seguinte (v. 13) ele lista o padrão de comportamento que devemos seguir, a maneira que devemos nos portar e agir perante o Senhor Deus.

A mesma exortação encontramos em Filipenses 4.8:

“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Paulo nos apresenta o padrão de comparação, o crivo. Em Romanos 13.13 ele nos chama para andar em honestidade, praticando as obras do Dia e, no versículo 8 de Filipenses 4, Paulo nos ensina como discernir o que é ou não honesto perante Deus.

Qualquer pensamento que vier à nossa mente deve ser, conforme os escritos do Apóstolo, colocados em comparação com a verdade, honestidade, justiça, pureza, amor, virtude, boa fama e louvor de Deus.

Após abordar a santificação, o cumprimento da lei e a aproximação do Dia do Senhor, o Apóstolo Paulo nos chama, nos convoca e orienta a revestir do Senhor Jesus Cristo.

“Mas revesti-vos do Senhor Jesus Cristo, e não tenhais cuidado da carne em suas concupiscências.”

Eu disse, no início do artigo, que considero este versículo como o retrato da essência da vida cristã, pois ele nos ensina:

  1. A moldar nossas vidas ao padrão de Cristo;
  2. A matar e oprimir nossa carne e suas inclinações pecaminosas.

O Apóstolo Paulo possuia a completa convicção de que nossos pensamentos, ações e postura deveriam ser conformadas ao perfil de Cristo Jesus.

Devemos sacrificar a nossa carne:

“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne.” (Gálatas 5.16)

“Que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe pelas concupiscências do engano; E vos renoveis no espírito da vossa mente; E vos revistais do novo homem, que segundo Deus é criado em verdadeira justiça e santidade.” (Efésios 4.22-24)

Os costumes pecaminosos, arraigados ao nosso velho homem, devem ser abandonados, pois em Cristo somos uma nova criatura:

“Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus. Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra; Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus. Mortificai, pois, os vossos membros, que estão sobre a terra: a fornicação, a impureza, o afeição desordenada, a vil concupiscência, e a avareza, que é idolatria; Pelas quais coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência; Mas agora, despojai-vos também de tudo: da ira, da cólera, da malícia, da maledicência, das palavras torpes da vossa boca.” (Colossenses 3:1-3, 5-6, 8)

Ao nos revestirmos de Cristo estaremos, não apenas virando as costas para o mundo e para seu padrão pecaminoso de vida, mas também estaremos, consequentemente, tomando a nossa cruz. Revestir de Cristo é seguir a Cristo!

“E quem não toma a sua cruz, e não segue após mim, não é digno de mim.” (Mateus 10:38)

Carregar a marca de Jesus em nós, em nossas vidas e em nosso modelo de conduta, pensamento e postura nos acarretará:

Sofrimento pelo Evangelho

“Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente. Porque, que glória será essa, se, pecando, sois esbofeteados e sofreis? Mas se, fazendo o bem, sois afligidos e o sofreis, isso é agradável a Deus. Porque para isto sois chamados; pois também Cristo padeceu por nós, deixando-nos o exemplo, para que sigais as suas pisadas.” (1 Pedro 2:19-21)

“Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis.” (1 Pedro 4:13)

Morte para o mundo

“Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele.” (1 João 2:15)

Morte para o pecado

“Que diremos pois? Permaneceremos no pecado, para que a graça abunde? De modo nenhum. Nós, que estamos mortos para o pecado, como viveremos ainda nele? Ou não sabeis que todos quantos fomos batizados em Jesus Cristo fomos batizados na sua morte? De sorte que fomos sepultados com ele pelo batismo na morte; para que, como Cristo foi ressuscitado dentre os mortos, pela glória do Pai, assim andemos nós também em novidade de vida.” (Romanos 6:1-4)

“E qualquer que nele tem esta esperança purifica-se a si mesmo, como também ele é puro. Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu.” (1 João 3:3, 6)

Renúncia pessoal

“Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me; Porque aquele que quiser salvar a sua vida, perdê-la-á, e quem perder a sua vida por amor de mim, achá-la-á.” (Mateus 16:24,25)

Luta contra o pecado

“Para que, no tempo que vos resta na carne, não vivais mais segundo as concupiscências dos homens, mas segundo a vontade de Deus.” (1 Pedro 4:2)

Zombaria, aborrecimento e rejeição do mundo

“E sereis até conduzidos à presença dos governadores, e dos reis, por causa de mim, para lhes servir de testemunho a eles, e aos gentios. Mas, quando vos entregarem, não vos dê cuidado como, ou o que haveis de falar, porque naquela mesma hora vos será ministrado o que haveis de dizer. Porque não sois vós quem falará, mas o Espírito de vosso Pai é que fala em vós. E odiados de todos sereis por causa do meu nome; mas aquele que perseverar até ao fim, esse será salvo.” (Mateus 10:18-20, 22)

“Meus irmãos, não vos maravilheis, se o mundo vos odeia.” (1 João 3:13)

Ao conclamar os irmãos para se revestirem de Cristo Jesus o Apóstolo sabia do peso desta responsabilidade. O peso do fardo do Evangelho.

Ele sabia que a medida que nos afastamos do mundo e nos aproximamos de Deus, nos parecemos mais com Ele.

“Querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para edificação do corpo de Cristo; Até que todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo.” (Efésios 4:12,13)

Começamos a amar o que Ele ama, a odiar o que Ele odeia e a pensar como Ele pensa.

“Porque, quem conheceu a mente do Senhor, para que possa instruí-lo? Mas nós temos a mente de Cristo.” (1 Coríntios 2:16)

Ao nos revestirmos de Cristo Jesus e, constantemente nos afastarmos do mundo, estaremos assumindo e moldando, em nossas vidas, o padrão de vida dEle, a maneira como Ele andava, vivia e falava. Se dissermos que estamos nEle devemos andar como Ele andou (1 João 2.6).

Sabemos, porém, que não estamos apenas carregando o peso de Cristo e de seu Evangelho, mas também a maravilhosa promessa de companhia e ajuda diária.

“…e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém.” (Mateus 28:20)

A gloriosa convicção de que o retorno de Cristo Jesus estava próximo enchia o coração de Paulo de anseio de, dia após dia, negar a própria vida e tomar para si o modelo de vida de Jesus. Ele queria que os seus irmãos possuissem essa consciência e por isso nos versículos que lemos ele lista o modelo que devemos seguir.

Devemos nos afastar de todo o mal, imoralidade e pecado, pois a noite já passou, o grito foi dado e a nossa Salvação está próxima.

Que Deus vos abençoe, fique na Paz de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais