/ Reflexão

Homens que andaram com Deus

“E viveu Enoque sessenta e cinco anos, e gerou a Matusalém. E andou Enoque com Deus, depois que gerou a Matusalém, trezentos anos, e gerou filhos e filhas. E foram todos os dias de Enoque trezentos e sessenta e cinco anos. E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.” (Gênesis 5:21-24)

“Noé, porém, achou graça aos olhos do Senhor. Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.” (Gênesis 6:8,9)

Quando lemos o Gênesis, principalmente os primeiros capítulos, percebemos uma clara semelhança entre a sociedade daquele período e a nossa sociedade atual. Em Gênesis 4:8 lemos acerca do primeiro homicídio, Caim mata a seu irmão por inveja, pela crueldade de seu coração.

No versículo dezesseis está escrito que Caim sai da presença do Senhor Deus. Em vez de se arrepender perante a face do Senhor, ele se afasta dEle e se torna o pai de uma geração perversa e ímpia.

Lameque, da linhagem de Caim, foi o primeiro a rejeitar o princípio de casamento monogâmico (Gênesis 4:19) determinado por Deus (Gênesis 2:22-24). E, no versículo vinte e três, lemos a declaração feita pela boca de Lameque acerca de seus feitos de morte.

No capítulo seis de Gênesis a depravação do gênero humano se intensifica depois que os “filhos de Deus” se casaram com as “filhas dos homens” (v. 2).

Em Gênesis 4:26, está escrito acerca de Enos, o primeiro que começou a invocar o Nome do Senhor. Ao contrário da linhagem de Caim, a linhagem de Sete buscava ao Senhor e era piedosa, Enoque e Noé eram descendentes de Sete que alcançaram o favor de Deus.

Portanto, a declaração de Gênesis 6:2 não se refere a anjos se casando om seres humanos, visto que o próprio Cristo declara em Mateus 22:30 que os anjos não se casam. O que lemos neste versículo é um registro do casamento entre a descendência de Sete e a descendência de Caim.

A Bíblia declara que a família de Sete iniciou o culto público de adoração ao Senhor e, com isso, demonstraram sua dependência ao Criador dos céus. Enquanto que a família de Caim estabeleceu seu estilo de vida entorno dos prazeres, divertimentos e empreendimentos mundanos.

Da família de Sete nascem dois homens cuja a própria Escritura declara que eram tementes e dependentes do Senhor Deus.

O primeiro era Enoque, a Bíblia fala que ele andou com Deus durante um período de trezentos anos (Gênesis 5:22) e se distinguiu em piedade e santidade.

Enoque condenava a depravação daquela sociedade. Ele apontava o dedo para o pecado e declarava que o Senhor era vindo com seus santos para julgar o padrão de vida daquele povo iníquo (Judas v. 14-15).

Ele possuía condições de acusar o pecado daquela sociedade, pois ele era íntegro e santo diante de Deus. O escritor aos Hebreus declara que, pela fé, Enoque foi transladado para junto do Senhor (Hebreus 11:5).

Prova de que Enoque agradou a Deus com sua vida está registrada em Gênesis 5:24:

“E andou Enoque com Deus; e não apareceu mais, porquanto Deus para si o tomou.”

O próprio Deus o tomou para si a fim de guardá-lo da morte. Sua vida santa, piedosa e justa subiu diante de Deus como um sacrifício vivo perante Ele.

O segundo homem que andou com Deus foi Noé (Gênesis 6:8-9). Assim como seu bisavô, Noé andou em justiça perante o Senhor.

Seu pai profetiza sobre sua vida, declarando que nele Deus traria a esperança. “Este nos consolará acerca de nossas obras e do trabalho de nossas mãos, por causa da terra que o Senhor amaldiçoou.” (Gênesis 5:29)

No capítulo seis lemos uma declaração maravilhosa acerca de Noé:

“Estas são as gerações de Noé. Noé era homem justo e perfeito em suas gerações; Noé andava com Deus.” (Gênesis 6:9)

Assim como Enoque, Noé andava na presença de Deus em retidão e santidade. O Apóstolo Pedro declara que ele era apregoador da justiça divina (2 Pedro 2:5). Ele herdou a salvação de Deus pela fé (Hebreus 11:7).

Ambos os homens viviam em uma época de depravação e crueldade tal como a nossa, no entanto, ao contrário de nós eles não possuíam leis que os salvaguardassem da morte.

Eram duas pequenas luzes que denunciavam o pecado de uma geração inteira, duas lâmpadas que andaram com Deus. No entanto, mesmo correndo o risco de serem mortos, não se calavam diante dos homens, mas confiavam inteiramente em Deus.

A minha pergunta hoje é “Você anda com Deus?”

Não estou lhe perguntando se você lê sobre Deus canta sobre Deus, posta frases nas redes sociais falando de Deus. Minha pergunta é mais profunda.

Os lugares que você frequenta são agradáveis aos olhos do Senhor? Aquilo que você fala, ouve ou vê é puro ou justo diante de Cristo Jesus, conforme o Apóstolo Paulo declara em Filipenses 4:8?

Será que Deus se agrada de sua vida assim como Ele se agradou da vida de Enoque e de Noé a ponto de salvá-los da destruição?

Andar com Deus não é apenas falar de Deus, mas sim permanecer em Sua Vontade e Presença. Acerca disso o salmista declara:

“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores. Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.” (Salmos 1:1,2)

Suas ações e caminhos declaram claramente que você é um servo de Deus? Ou seus passos são guiados pelos conselhos, prazeres e divertimento dos ímpios?

Seu prazer e pensamento estão na Lei do Senhor? O salmista declara que o varão bem-aventurado é aquele que medita dia e noite na Palavra de Deus.

Meditar não é ler a Bíblia apenas aos domingos, é dedicar tempo para ler, estudar e, durante todo o dia, medir e pesas cada passo e ação na Palavra.

Você jamais agradará a Deus apenas frequentando a Igreja, vestindo uma camiseta com frases cristãs, assinalando sua religião no Facebook como cristão ou evangélico.

Você deve andar com Deus! Isso nos revela duas grandes verdades:

  1. Você amará apenas aquilo que Deus ama;
  2. Você odiará tudo aquilo que Deus odeia;

Se, em seu coração, você alimenta qualquer prazer em pecados condenados pela Bíblia (Romanos 1:18-32; Gálatas 5:16-21; Apocalipse 21:8) então Deus jamais esteve ao seu lado.

Tenha em mente o seguinte questionamento “Isto que estou fazendo, pensando, falando ou admirando é agradável ao Senhor?”

Minha oração é para que tanto você, quanto eu, compreendamos que o Senhor está em busca de um povo zeloso e de boas obras. Um povo que não meça esforços para andar ao Seu lado.

Abandone o pecado e ande com Deus!

Que o Senhor Jesus lhe abençoe, fique na Paz de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais