/ Reflexão

O segredo dos crentes carnais

“Digo, porém: Andai pelo Espírito, e não haveis de cumprir a cobiça da carne.” (Gálatas 5:16)

As Sagradas Escrituras diversas vezes nos apresenta e nos faz meditar acerca dos padrões morais, da santidade do Senhor nosso Deus e de como nos devemos portar como servos, filhos e ovelhas lavadas, remidas e compradas pelo precioso Sangue de Jesus Cristo.

Ao escrever para os romanos, o Apóstolo Paulo lhes assevera que nem só porque vivemos no tempo da graça temos a liberdade para pecar a fim de que a graça e misericórdia de Deus se manifeste em nossas vidas (Romanos 6:1-2).

Fomos batizados na morte de Cristo (Romanos 6:3) e sepultados com Ele para o pecado e o mundo (Romanos 6:4). Paulo reforça novamente nossa morte para o pecado no versículo 6 e no versículo 11 declara:

“Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus, em Cristo Jesus.”

A premissa básica da salvação em Cristo e da vida cristã consiste na morte para o mundo e na ressurreição para Deus. No entanto, devemos constantemente nos policiar para que nosso velho homem não se levante novamente (Romanos 6:12-13, 15-16).

Em sua primeira epístola o Apóstolo João deixa claro que aquele que está em Cristo não peca (1 João 2:1, 3-4; 3:4, 6, 8-9).

Percebam que o Apóstolo diz que “Qualquer que é nascido de Deus não comete pecado…”

Ele não se refere aos pecados inconscientes, tal como o salmista diz em Salmos 19:12 acerca dos pecados que cometemos e não tomamos conhecimento, pois somos e estamos presos num corpo e numa natureza pecaminosa.

O Apóstolo João emprega o verbo “cometer” no infinitivo presente, ou seja, ele se refere a uma ação constante, não acabada, contínua. Ele compreende que uma vez mortos em Cristo, nossa natureza pecaminosa e nossos desejos profanos e imorais não deve assumir, novamente, o controle de nossa vida.

É impossível ser nascido de novo e permanecer no pecado, na prostituição, na impureza, na lascívia, na idolatria, na feitiçaria, na inimizade, na porfia, na emulação, na ira, na peleja, nas dissenções, na heresia, na inveja, no homicídio, na bebedice e na glutonaria (Gálatas 5:19-23).

A Pessoa e o caráter de Cristo repudia todo o tipo de prática pecaminosa, sendo ela grande ou pequena aos olhos humanos. Então como podemos afirmar que somos membros do Corpo de Cristo se, em paralelo, somos participantes da prostituição (1 Coríntios 6:15-16)?

Mas então por que há inúmeros crentes, ou cristãos nominais, mesmo afirmando serem nascidos de novo, não abandonam o pecado e padrões de vida carnais?

  1. **Pois não são nascidos de novo (1 João 3:10):**Se não amamos a justiça e não praticarmos o bem e repudiarmos o mal (Hebreus 1:9; 1 Pedro 3:11) então não somos filhos de Deus. João é claro *“qualquer que não pratica a justiça e não ama a seu irmão não é de Deus”
    **
  1. ****Pois amaram mais ao mundo do que a Cristo (1 João 2:18-19):****O Apóstolo João chama todo aquele que se aparta de Cristo e abandona a fé de anticristo e, neste ponto, podemos dizer que todo aquele que ama o mundo acima de Deus e de Sua Vontade, ama os prazeres, divertimentos, passatempos seculares acima de uma vida de separação corre um sério risco de caminhar para longe do Senhor (Hebreus 3:12-14) “E não entristeçais o Espírito Santo de Deus, no qual fostes selados para o dia da redenção.” (Efésios 4:30)
  2. ****Não possuem fé (1 João 5:4):****Não possuem fé o suficiente para crer que em Cristo Jesus há a vitória para o pecado. Se o cristão não é capaz de vencer as tentações, ele não é capaz de crer que Cristo é o Filho de Deus, visto que é Ele, por nossa fé, que vence o mundo (1 João 5:5).

Que neste dia o Senhor Deus venha lhe acrescentar, cada vez mais, acerca do seu Reino, da compreensão de uma vida separada a Ele e de um caminha puro e santo. Fique na Paz de Cristo Jesus, que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, fundador e editor do Euaggelion.

Ler mais