/ Reflexão

Conhecidos por Deus

“Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?” (Gálatas 4:9)

O Apóstolo Paulo ao escrever aos Gálatas acerca da Lei nos revela que Deus enviou seu Filho para que, aqueles que estavam debaixo da lei (vv. 2-3), recebessem a adoção em Cristo (v. 6).

No versículo que abrimos o artigo o Apóstolo Paulo está orientando aos irmãos da Galácia que, uma vez resgatados por Deus da vida de idolatria (v.8) eles não deveriam, jamais, retornar às antigas práticas.

“…como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir?”

No entanto, o trecho que desejo destacar se encontra na primeira parte do versículo:

“Mas agora, conhecendo a Deus, ou, antes, sendo conhecidos por Deus”

Paulo nos revela que, sendo conhecidos por Deus, não devemos nos conformar aos pobres rudimentos e preceitos deste mundo.

Traçando um paralelo deste versículo com 1 Coríntios 8:3, onde novamente o Apóstolo Paulo trata de assuntos relacionados à praticas seculares, encontramos a maravilhosa declaração:

“Mas, se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.” (1 Coríntios 8:3)

Percebam que o conhecimento de Deus é restringido pelo nosso amor. ”…se alguém ama a Deus, esse é conhecido dele.”

Claro que o Senhor em sua Soberania conhece todos os homens de todas as eras, no entanto, o termo “conhecer” empregado pelo Apóstolo Paulo não se refere ao simples conhecimento de existência, mas sim em um conhecimento de comunhão, de amizade.

Em João 15:14 Jesus declara que, só seremos seu amigo, se obedecermos aos seus mandamentos. Uma vez obedecendo ao mandamento do Senhor e amando-o com nossas vidas seremos, não apenas amigos, mas conhecidos de Deus.

Claro que neste aspecto devemos ressaltar que amor e liberdade são duas faces da mesma moeda. Várias vezes encontramos nas Sagradas Escrituras a declaração de que no Deus Trino encontramos a liberdade (Lucas 4:18-19; João 8:36; 2 Coríntios 3:17; Gálatas 5:13).

De fato, em Cristo somos livres de toda forma de aprisionamento e opressão, seja ela aparentemente má ou não.

Se amamos a Cristo obedecemos aos seus mandamentos, vivemos de maneira contrária ao mundo, não apenas com palavras, mas com atitudes. Nossa vida deve transparecer o caráter de Cristo Jesus, a pureza de um Deus cujos pensamentos não apenas são santos, mas também, em momento algum, planejou ou desejou criar o pecado ou o mal.

Creio que uma postura, devidamente cristã, não seja emoldurar nossos costumes seculares em hábitos seculares e “inofensivos”, mas sim em um contínuo afastamento de tudo aquilo que é comum ao mundo. Nossos divertimentos e passatempos não estão isentos dos padrões de santidade do Senhor.

Se amamos a Deus, pensamos nas coisas que são de cima e odiamos as coisas que são de baixo, pois temos a mente de Cristo (1 Coríntios 2:16).

Nosso amor ao Senhor nos proporciona um laço de comunhão com Ele por intermédio do sangue de Jesus Cristo. Por Cristo somos conhecidos por Deus.

E, conforme o Apóstolo Paulo declara, o conhecimento do Senhor resulta em salvação. Ao sermos conhecido por Deus alcançamos a salvação, a redenção e a purificação de nossos pecados.

“Porque os que dantes conheceu também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho, a fim de que ele seja o primogênito entre muitos irmãos.” (Romanos 8:29)

Você é conhecido pelo Senhor? Suas ações se enquadram em ações de amigos de Jesus?

Que Deus lhes abençoe. Fique na paz de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Conhecidos por Deus
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion