/ Vida Cristã

Sacerdócio santo

Hoje gostaria de meditar em um texto que estive meditando há algum tempo.

“Vós também, como pedras vivas, sois edificados casa espiritual e sacerdócio santo, para oferecer sacrifícios espirituais agradáveis a Deus por Jesus Cristo.” (1 Pedro 2:4)

Na realidade, até o versículo 10, o Apóstolo Pedro continua o assunto iniciado no primeiro capítulo. “Exortação à santidade”.

Infelizmente santidade é um assunto um pouco repudiado, não pelo mundo afinal ele está imerso no pecado, mas pela própria Igreja, pelos embaixadores de Cristo.

Pedro sabia desta responsabilidade, ele convoca os irmão a cingir os lombos do entendimento, ou seja, permanecerem preparados, os orienta a permanecerem sóbrios e esperarem a graça que haverá de ser revelada em Cristo Jesus (1 Pedro 1:13).

Percebam que ele apresenta três pontos importantes: a convicção e o preparo na fé, a renúncia e a esperança. Ele sabe que todo o cristão deveria estar inteiramente preparado, com os lombos cingidos, deveria estar pronto para a batalha em prol do Reino de Deus.

O termo “sóbrio” não se refere necessariamente apenas à ingestão de bebidas alcoólicas, mas também à santidade. O fermento, presente no vinho, é apresentado nas Sagradas Escrituras como uma alusão ao pecado e iniquidade.

Devemos estar sóbrios, limpos de todo pecado, limpos de toda marca e mancha deste mundo, pois, conforme o Apóstolo declara, somente assim estaremos aptos para esperar “…inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo” (1 Pedro 1:13).

Nos versículos seguintes ele assevera e nos mostra a responsabilidade de sermos lavados pelo Sangue de Cristo.

Devemos ser santos como Deus é Santo (1 Pedro 1:15). Nossa salvação foi comprada pelo sangue de Cristo, por um preço que nenhum homem poderia pagar (1 Pedro 1:19) e, por fim, ele declara a insignificância da vida humana (1 Pedro 1:24).

O que desejo apresentar? Primeiro, fomos comprados por um alto preço, a salvação não é gratuita, pois custou a vida de Cristo, custou todo o seu sangue. Jesus pagou um preço muito elevado para reconciliar a humanidade com Deus.

Segundo ponto, se somos servos de Deus devemos ser santos, devemos ser separados, devemos deixar de acreditar que Deus vai relevar nossas atitudes de insubordinação. Ou você é separado deste mundo ou está afundando no inferno com ele.

Ou você pensa, age e vive na contramão, ou está ao lado da massa, ao lado das pobres almas condenadas.

Terceiro ponto, a vida humana não passa de vapor, não passa de uma erva que pela manhã nasce, brota e a tarde seca e morre. Setenta, oitenta, noventa anos!? O que isso representa diante de uma eternidade!?

Se não compreendermos estes três pontos jamais seremos capazes de exercer o sacerdócio santo que Pedro declara no segundo capítulo.

Se vivemos uma vida atolada em pecado, em prazeres mundanos, em divertimentos imorais, seculares e profanos jamais teremos ousadia de entrar diante de Deus! Acho que os cristãos não compreendem a responsabilidade que há em seus ombros.

No Antigo Concerto o Sumo Sacerdote e os sacerdotes jamais poderiam se apresentar diante de Deus em pecado, contaminados. A responsabilidade era tamanha sobre os seus ombros que se porventura eles entrassem na Presença de maneira leviana, sem misericórdia alguma, eram mortos.

O que tem feito os cristãos hoje? De que forma têm se apresentado diante do Deus que, desde o Antigo Testamento, não mudou?

Não é questão de interpretação bíblica ou de ponto de vista, estamos tratando da Santidade de Deus. O pecado é uma afronta ao Santo Senhor, é uma negação aos seus mandamentos, é uma provocação!

Se você, caro leitor, tem vivido da maneira leviana e descompromissada, se tem entregado seu corpo aos prazeres deste mundo desculpe lhe informar, mas você está assinando sua sentença de morte.

Quem lhe disse que Deus vai relevar o seu pecado? Quem disse que Ele vai continuar sendo benevolente enquanto você se entrega à prostituição, lascívia, mentira, bebedices, glutonaria, feitiçaria e toda forma de iniquidade?

Onde está escrito na Bíblia que Ele vai continuar te perdoando e amando mesmo sem você demonstrar arrependimento?

Será que, de fato, como cristãos temos compreendido a responsabilidade que há em nossos ombros?

Você está querendo um “evangelho fácil”? Um Deus com uma varinha mágica que atende aos seus desejos?

PARE DE OLHAR PARA ESTE MUNDO! PARE DE CONFORMAR O EVANGELHO AOS PADRÕES CAÍDOS DESTA SOCIEDADE!

Deus não nos chamou para viver uma vida cheia de legalismo, religiosidade, um evangelho podre, Ele nos chamou para nos apresentarmos como sacerdotes santos em sua Presença, somos chamados para oferecer sacrifícios, por Cristo, ao Senhor Deus.

Até quando vamos continuar torcendo a Bíblia para agradar os pecadores, para agradar o ego humano, para aliviar a dor provocada por uma consciência acusada diante de Deus?

Você está pronto para morrer? Não!? Então apresente-se diante de Deus santo e puro, o período da Graça apenas retarda o juízo de Deus, no entanto, quando ele vier não há nada que possa contê-lo.

Meu desejo não é vê-lo, não é ver nenhum cristão, no dia do Juízo sendo condenado a uma eternidade afastada do Deus que rejeitou.

Temos a liberdade em Cristo de nos apresentar aos pés da Cruz todos os dias de nossas vidas, somos mais agraciados do que o próprio povo judeu no Antigo Concerto. Podemos ajoelhar diante de Deus todos os dias de nossas vidas.

Mas temos aproveitado essa liberdade?

Somos chamados para exercer o sacerdócio em Cristo Jesus, resgatar as almas, lutar contra as trevas, mas como o faremos se estamos impuros, cheirando tal como as almas perdidas e escondidos em meio às trevas do pecado?

Não temos mais tempo algum, ou você decide, de uma vez por todas, servir a Deus e negar tudo, ou você se conforma com este mundo fadado ao fogo do inferno.

Ou você escolhe o sacerdócio eterno no Reino de Deus, ou os prazeres deste mundo, o sistema caído e o lago que queima com fogo e enxofre.

Um artigo, talvez, um pouco ácido e duro de ser lido. No entanto, talvez ainda seja pouco para despertar nos cristãos desta era a compreensão da glória e do privilégio que recebemos.

Não desejo vê-lo sendo condenado, desejo vê-lo diante de Deus louvando-O eternamente, porém a decisão deve ser feita hoje, em vida.

O que você vai escolher, ganhar esta vida ou perdê-la?

Fique na Paz de Cristo Jesus, que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Sacerdócio santo
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion