Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Reflexão

Saiamos do arraial

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

“Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério.” (Hebreus 13:13)

No último capítulo da carta aos Hebreus, o escritor traça um paralelo entre os judeus e os cristãos, principalmente no versículo treze.

Ao conclamar os cristãos judeus de Roma para saírem do arraial ele estava, na realidade, chamando-os para viver na liberdade em Cristo Jesus, a liberdade da Graça. Eles deveriam sair do judaísmo, da imposição da Lei, dos rituais e desfrutar a liberdade no Sangue de Cristo.

Trazendo para o cristianismo, ele nos conclama para sairmos do sistema mundano. O próprio termo “Igreja”, do grego ekklesia, nos remete à ideia de “chamados para fora”.

Enquanto que, para os cristãos de Roma o “arraial” significava o judaísmo, para nós representa os prazeres do mundo, seus pecados, seus valores iníquos e alvos terrenos.

Ao sairmos do arraial afirmamos que não temos morada terrena, que não somos deste mundo (v. 14). Nosso alvo não está aqui, mas sim em Cristo, nossos olhos devem estar firmes no céu.

O propósito de sermos separados não é para mostrar ao mundo que somos superiores, mas sim para levar o Evangelho do Arrependimento e, por consequência, para sofrer pela verdade.

“Saiamos, pois, a ele fora do arraial, levando o seu vitupério.”

Você está levando o vitupério de Cristo? Há marcas de renúncia, sofrimento, ódio, desprezo, afronta e oposição em sua vida?

Você está andando na contramão deste mundo, apresentando uma mensagem que é loucura para os sábios e entendidos (1 Coríntios 1:21; 2:14)?

O Evangelho que você está vivendo aponta para Cristo, para a Jerusalém Celestial, para uma vida separada? Ou aponta para o contentamento, aceitação, legalismo e uma vida paralela de prazeres pecaminosos?

O maior problema da Igreja hoje se encontra no fato de que a mensagem de separação e santificação soa como loucura, fanatismo e incoerência temporal.

A Igreja cumpriu o que o Apóstolo Paulo declara a Timóteo:

“Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo comichão nos ouvidos, amontoarão para si doutores conforme as suas próprias concupiscências;” (2 Timóteo 4:3)

A Sã Doutrina, o Evangelho da renúncia, a pregação do arrependimento e separação não são aceitos, são definidos como extremismo, pois os cristãos não desejam, de fato, viver o puro evangelho, se acomodaram ao mundo e seus ouvidos estão inclinados para mensagens agradáveis ao ego, ao homem carnal e ao pecado.

Já sabíamos de antemão, pois a Bíblia declara que nestes últimos dias a Palavra de Deus seria deturpada a fim de satisfazer os desejos pecaminosos do homem (2 Timóteo 3:1-9).

Saiamos do arraial! Saiamos deste sistema mundano! Saiamos do pecado, da vida descompromissada com Deus! Saiamos das torções e distorções bíblicas!

Saiamos, pois esta Terra e este sistema mundano está fadado, destinado ao fogo (2 Pedro 3:7).

Coloque os seus olhos na eterna esperança. Em nosso Devocional “Ainda não estou vivendo” apresentei uma breve reflexão acerca da pequenez, da insignificância de uma vida de 70 anos diante de uma eternidade. O que é uma vida de prazeres mundanos diante de uma eternidade afastada de Deus?

Saiamos do arraial, subamos ao Monte do Senhor, nos afastemos de tudo que o mundo considera aceitável, mas que para Deus é condenável. Saiamos, olhemos para Jesus e aguardemos o Novo Céu e a Nova Terra (2 Pedro 3:13).

Embora não concorde com muitas frases e declarações de C. S. Lewis deixo a seguinte reflexão que, ao meu ver, exprime com extrema fidelidade a vida de um cristão neste mundo:

“Aqueles que querem sentir-se bem, não recomendo o Evangelho, recomendo uma boa garrafa de vinho”

E você, está disposto a renunciar o mundo por Cristo?

Que Deus vos abençoe, fique na Paz de Cristo Jesus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Saiamos do arraial
Compartilhe