Apologética Devocional DropsGelion Reflexão Sobre Fale Conosco
/ Reflexão

Trocando Deus por cebolas e alhos

  • Jamil Filho

    Jamil Filho

    Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

    Ler mais artigos deste autor.

    Jamil Filho

“Lembramo-nos dos peixes que no Egito comíamos de graça; e dos pepinos, e dos melões, e dos porros, e das cebolas, e dos alhos” (Números 11:5)

Não sei se todos conhecem este trecho da Bíblia Sagrada, o povo havia acabado de ser liberto da escravidão no Egito e iniciava sua jornada rumo a terra de Canaã.

Contudo, apenas três dias depois de partirem do Sinai, a nação de Israel começou a murmurar contra o Senhor Deus.

No versículo anterior está registrado que:

“… os filhos de Israel tornaram a chorar, e disseram: Quem nos dará carne a comer”?

Apenas três dias de viajem pelo deserto foi suficiente para fazê-los murmurar contra o Senhor Deus.

Há poucos dias eles haviam sido libertos da escravidão, atravessaram o mar Vermelho com os pés enxutos, viram a Glória de Deus no monte Sinai e, agora, lamentavam e murmuravam pelo fato de não terem carne para comer.

Mesmo Deus lhes concedendo o maná não se voltaram para Ele, pelo contrário, desprezaram o Senhor e suas obras.

No versículo que destacamos no início do artigo, a nação de Israel se lamenta e lembra do alho, da cebola e de outros alimentos que possuíam no Egito.

O interessante é que eles não foram capazes de confiar suas necessidades ao Deus que lhes tirou do Egito.

Pois se o Senhor os tinha libertado de uma escravidão de séculos, guiado pelo mar até o Sinai, onde se manifestou poderosamente, será que não era capaz de lhes prover o alimento?

Os israelitas diminuíram o poder de Deus, rejeitaram o Seu cuidado e olharam para trás.

O fato é que eles haviam sido retirados do Egito, mas o Egito não havia saído de seus corações.

Traçando um paralelo com o mundo espiritual, o Egito representa este mundo e sistema maligno, seus prazeres efêmeros, a escravidão é tipo do pecado, o deserto representa a nossa árdua jornada por este mundo e Israel representa a Igreja.

Israel é o povo eleito de Deus, contudo há israelitas que não foram salvos, que não compunham o Israel de Deus, da mesma maneira que a Igreja é o Corpo de Cristo, pelo qual a eleição é feita, mas nem todos aqueles que nela estão são, verdadeiramente, salvos.

Através de Cristo Jesus fomos retirados do mundo, do Egito e da escravidão do pecado.

Contudo muitos daqueles que estão dentro da igreja contemplando as obras de Deus em favor de seu povo preferem abandonar sua liberdade comprada por Cristo, rejeitando ao Senhor Deus e ao Pão que desceu dos céus.

Trocam o Senhor por cosias efêmeras, passageiras, corruptíveis. Negam ao Senhor Jesus em troca de prazeres deste mundo, por prazeres momentâneos.

Minha breve reflexão nesta segunda-feira é esta, será que não estamos inclinados a trocar Canaã pelo alho e pela cebola do Egito?

Olhe para frente! Não deposite seu coração nas coisas passageiras deste mundo, pois o que Deus nos tem preparado é eterno. Não troque Deus por cebolas e alhos!

Fique na Paz de Cristo Jesus e que Deus vos abençoe.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
Trocando Deus por cebolas e alhos
Compartilhe