/ Parábolas

A Semente - Série: As Parábolas de Jesus

E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente à terra. E dormisse, e se levantasse de noite ou de dia, e a semente brotasse e crescesse, não sabendo ele como. Porque a terra por si mesma frutifica, primeiro a erva, depois a espiga, por último o grão cheio na espiga. E, quando já o fruto se mostra, mete-se-lhe logo a foice, porque está chegada a ceifa. Marcos 4:26-29

A parábola da semente, embora não seja uma das parábolas mais conhecidas, nos apresenta algumas questões vitais para o entendimento do propósito dos servos de Cristo quanto à proclamação do Evangelho.

Neste mesmo contexto o Senhor ensina ainda acerca do Reino utilizando sementes em outras duas parábolas.

Na parábola do semeador o Senhor Jesus nos demonstra a realidade de que nem todos aqueles que são amistosos ao evangelho serão salvos, enquanto que, na parábola, do grão de mostarda o Senhor prenuncia o vertiginoso crescimento de Seu Reino na Terra.

Contudo, a parábola da semente, embora extremamente simples e direta, nos aponta para uma realidade muitas vezes não observada: o misterioso crescimento da semente.

Aplicação prática:

Cristo já havia evidenciado que nem toda semente germinaria ou se desenvolveria em Seu Reino visível na Terra (Marcos 4:4-7), mas agora Ele responde a questão central acerca do desenvolvimento daquelas que germinam.

O Mestre nos apresenta a figura de um homem que, ao lançar suas sementes, se repousa e, num dia qualquer, percebe que elas germinaram e, a partir de então, passa a acompanhar seu desenvolvimento.

O Senhor deixa claro que tal homem apenas lança suas sementes, mas não sabe e não entende como ela irá germinar (v. 27). O desenvolvimento daquelas pequenas sementes está oculto aos olhos do semeador.

Cristo busca nos ensinar que, assim como a semente, o Evangelho se desenvolve sem que compreendamos ou entendamos plenamente.

O germinar da semente não é função do semeador, mas sim da terra na qual foi lançada (v. 28) e do Senhor Deus.

Aqui Cristo traça um paralelo com a parábola do semeador, a semente lançada é a mesma, mas o desenvolvimento depende da terra na qual ela caiu.

Embora o Apóstolo Paulo, ao apresentar o mesmo cenário, declare que o crescimento da semente provém do Senhor, ele não busca reduzir, em momento algum, a responsabilidade humana. Pelo contrário, o contexto é outro, ali o Apóstolo está combatendo o partidarismo existente dentro da Igreja.

O desenvolvimento provém de Deus? Com toda certeza, pois o próprio Senhor declara que Sua Palavra não volta vazia, seja ela enviada para salvar ou lavrar a sentença, contudo, não podemos descartar a realidade apresentada pelo Senhor Jesus acerca do fato de que o solo compromete ou potencializa o desenvolvimento de Sua Palavra.

Cristo nos mostra que, como semeadores, não devemos nos ocupar em compreender ou descobrir em qual estágio de germinação o Evangelho se encontra, ou ainda como ele germina, mas sim em anuncia-lo e, quando chegar a ceifa, em colhermos frutos para Deus.

Jamil Filho

Jamil Filho

Cristão por livre escolha, salvo pela graça, servo de Cristo Jesus, eterno estudante de teologia, criador e editor do Euaggelion.

Leia mais
A Semente - Série: As Parábolas de Jesus
Compartilhe:

Assine o boletim Euaggelion